sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Trégua

Hoje estou velha como quero ficar.
Sem nenhuma estridência.
Dei os desejos de todos por memória
e rasa xícara de chá.

Adélia Prado

Um comentário:

Ston disse...

Gosto demais...